20 de dezembro de 2008

fechando com chave de ouro.

Provavelmente esse será meu último post de 2008 então eu tenho que no mínimo agradecer por esse belo ano que eu tive. E pensar que em meados de maio eu ainda queria dois mil e sete de volta, nem passou pela minha cabeça que dois mil e oito ainda me guardava muitas surpresas.
No fundo eu ainda tinha esperanças de que um número par não me deixaria na mão, e não deixou, pelo contrário, veio me provar que números pares fazem sim total diferença pra mim e que tendem a deixar as coisas sempre melhores.
Diante de tanta coisa que vivi esse ano não posso deixar de comentar o quanto aprendi, acho que amadureci todos esses 18 anos em um só, to com a mala cheia de decisões tomadas, de manias largadas, de pessoas que não faziam bem e foram afastadas e de saudade de pessoas que hoje vejo, perdi por burrice. Pela primeira vez na vida parei pra pensar na falta que as pessoas que perdi me fazem e confesso que por vezes chorei ao querer algumas pessoas de volta, mas é assim mesmo, em próximas oportunidades vou pensar duas vezes antes de me deixar perder pessoas especiais assim.
Esse ano fiz, refiz e estreitei laços que eu sei que vou levar comigo pelo resto da vida. Aproximei-me de pessoas maravilhosas, me reaproximei de pessoas completamente especiais e conheci gente que não tem como não amar, dois mil e oito me deu os melhores presentes que eu poderia querer - as melhores pessoas do mundo, que me estão sempre disponíveis a qualquer hora do dia nem que seja só pra vir aqui dizer que me ama e ir embora, esse tipo de presente não tem preço e é tão bom saber que fiz por merecer pra ganha-los. Isso me deixa muito orgulhosa de mim mesma.
Vou sentir falta de muita coisa que dois mil e oito levou de mim, de algumas pessoas principalmente, mas quando eu paro pra pensar nas pessoas que ele me trouxe, não tem como ficar zangada e mesmo sabendo que ninguém é substituível, fiz trocas justas. Minto! Eu saio no lucro em 90% delas. E, portanto minha primeira super-meta de dois mil e nove é não perder as pessoas que conquistei nesse ano que está prestes a acabar.
Outra super-meta é aprender a me decidir, já que vou deixar muita coisa por acabar em dois mil e nove, tenho que entrar o ano sabendo o que quero de verdade pra mim, já ta mais que na hora de eu começar a ter certezas, até porque dois mil e oito me ajudou muito com isso.
Espero que em dois mil e nove tudo tome seu rumo, de pessoas a manias. É hora de esquecer, apagar, deletar ou guardar comigo pra sempre.
Dois mil e oito me foi um ano inesquecível. Dois mil e nove tem de seguir o mesmo rumo.
Então, para as pessoas que ainda perdem seu tempo lendo minhas linhas tortas, feliz natal. Que Papai Noel dê a vocês presentes maravilhosos e que esses mesmos saibam ser aproveitados muito bem. Usem dois mil e nove pra viver, aprender, amar. Deixa que o resto a vida ajuda a fazer independente do tempo.
Papai Noel por favor, muita saúde, paz, dinheiro, amor no coração, esperança e sabedoria para nós todos. Que sejamos suficientemente humanos daqui pra frente, pra antes de agir pararmos e pensarmos um pouco nos próximos. Que saibamos quebrar preconceitos e que sejamos sinceros com o mundo e com nós mesmos. Que possamos abrir a boca e dizer que somos dignos de presentes bons de verdade, porque só pessoas suficientemente boas os merecem.
Que neste natal a consciência fale bem alto, pra que em dois mil nove saibamos trazer luz e paz ao mundo... Respeito: é isso que eu espero de dois mil e nove.

[Quanto ao que passou, SÓ TENHO A AGRADECER.
até 2009 pessoal. Beijostchau.]

17 de dezembro de 2008

Nota de uma terça-feira em meio a sushis, cigarros, cervejas e as melhores pessoas do mundo:

Eu me decidi, não é um e nem dois, é você. Você e seus defeitos, você e seus mistérios, você e todo o seu mundo que por me ser desconhecido, atrai como nenhum outro.
Você sorrir e eu não sei se é pra mim ou pro resto das pessoas ao redor, mas ilusiono só nós dois e pronto! Seu riso é meu ainda que contra sua vontade.
Amanhã quando falar comigo não seja tão frio, nem esteja tão longe, porque quero você perto e sua presença me esquenta ainda que lá fora tudo seja inverno e eu não estou disposta a mudar de ideia.
Talvez você nem note, mas sua indiferença me dói muito e pra mim já chega de insegurança! Eu quero certeza e ainda que inexplicavelmente, você é a minha. Uma certeza errante, longa e vaga, mas completamente minha.

14 de dezembro de 2008

Daí que mulher é assim mesmo: Vê coisa onde não existe, sofre por quem não merece e por antecipação, não consegue viver sem dar escândalo e nunca tá perfeita pra ser amada por si mesma, mas exige amor do resto do mundo. Eu sempre gostei disso, é bom ser um bicho tão complicado e tão perfeito ao mesmo tempo, mas ultimamente essa vida de mulherzinha vem me cansando!
Eu admito que ser mulherzinha tem suas vantagens. A gente pode chorar quando quer, por exemplo, o problema é que tirando proveito disso choramos o tempo todo e por qualquer coisa - Outra coisa insuportável nas mulheres, quando podemos algo sempre o fazemos em excesso e não me pergunte o motivo. O mesmo acontece com as proximidades, as mulheres se abraçam demais e se beijam demais e estão o tempo todo grudadas umas nas outras soltando risinhos pelos cantos. Tudo em dose exagerada gera conflito, eis a explicação pra algumas amizades femininas que depois de um tempo viram guerra. O mesmo acontece com os segredos, que quando são femininos nunca são segredos de verdade. Primeiro pra melhor amiga, depois pra segunda melhor amiga e depois pra amiga que ta virando tua íntima. Não demora pouco até a inimiga ficar sabendo. Depois as donas do segredo sempre procuram alguém em quem pôr a culpa, esquecem que elas mesmas fizeram o serviço sujo e espelharam o tal segredo.
Tudo isso acontece por um único motivo: As mulheres ilusionam demais.
Paixão masculina ninguém sabe, a não ser que o cara fique bêbado e não se controle. Paixão feminina além de todo mundo saber, é sempre aumentada. Mulheres falando de suas paixões é sempre um caos, isso porque nunca dá pra saber até onde o que elas dizem é verdade ou o que elas decidiram falar pra embelezar mais o contexto. Não é que mulher goste de mentira, mas as mulheres quando se apaixonam tendem e ver num riso o paraíso, e ao invés de entenderem que um riso é paraíso para si e deixar isso consigo só na sua louca vontade de dar certo, não.. Elas precisam contar a ilusão como se fosse verdade, que é pra deixar mais bonito e as outras concordarem de que dessa vez vai dar certo.
E homens, uma dica: Quando souberem da paixão de uma mulher por vocês e não estiverem afim de corresponder, cuidado com os gestos. Não ponha muito sorriso no 'Bom dia' e nem use a expressão 'Linda' com muita freqüência. Nada de fazer elogios do nada e por nada no mundo fique puxando assuntos com a garota - o resto do mundo entende que você apenas é simpático, mas pra ela isso pode parecer - 'Ele ta muito interessado em mim amiga, sempre chega puxando conversa, sendo simpático. Certeza que em qualquer conversa dessas ele vai acabar pedindo pra ficar comigo'. E mais, cuidado com as palavras, se usadas de forma errada elas viram armas e nós não queremos uma mulher por aí se suicidando por sua causa.
Ser mulher é bom, eu gosto. Mas venhamos e convenhamos ser mulher é trabalho duro, não só pra quem é, mas também pra quem tem de conviver com os outros sendo, melhor, com as outras sendo.

12 de dezembro de 2008

Estranho quando as coisas começam a mudar e você só se dá conta disso quando já não pode mais fazer nada pra que a mudança pare.
Sempre fui meio lenta com as coisas. Mais lenta ainda com as pessoas, afinal é realmente difícil conseguir acompanhar a tempo algo que vive em constante mudança. Sou lenta por natureza e amante também.
Embora eu saiba que muitas das coisas jamais serão como antes, assim como determinados sentimentos, eu ainda acredito em recomeço e não perco a esperança de que dê certo. Sou boa em fazer minha parte e espero o mesmo da outra parte também, afinal ninguém consegue amar ou promover a mudança sozinho, ainda mais quando se trata da mudança de alguém não tão forte como aparenta.
Sei que algumas mudanças incomodam e que muitas das vezes acontecem na hora errada, mas nunca dá pra saber o momento certo de acertar ou errar, tem sempre alguém esperando algo mais, mesmo que inconscientemente. Talvez o problema seja esse, as pessoas esperam por mudanças que não são possíveis de acontecer em curto prazo e as querem agora e não querem mudanças que são de fácil adaptação - tirando por mim sou um bom exemplo disso - Impacientes eu chamaria.
Não que eu não esperasse que as coisas mudassem assim tão abruptamente, eu apenas ilusionei que não seria tão difícil de conviver com as mudanças assim, acho que me enganei assim como me enganei ao pensar que talvez fosse melhor assim. Todo canceriano quando se acomoda a algo espera que aquilo dure pra sempre, comigo não seria diferente.
Embora eu saiba que as coisas jamais serão como antes, ainda resta o desejo de fazer com que sejam. Ainda que eu saiba que o desejo não é suficiente, vou continuar tentando.
E quer saber minha opinião? Certas coisas não deveriam mudar nunca!

10 de dezembro de 2008

Hoje eu só quero sentir..

.. Todas as palavras que me forem concedidas.

9 de dezembro de 2008

Mais um ano sem você. O tempo passou rápido, a saudade doeu menos e eu me acostumei com a ausência. Não lembro dos sete, mas lembro que no último reveillon ao pular as sete ondas o meu primeiro pedido foi ter você esse ano e o segundo, ter você pra sempre. Nenhum dos dois se realizou, nem por um segundo. Ainda bem.
Até hoje, em toda minha vida, ainda não conheci um amor maior que o que eu sinto por você. Sinceramente eu não me orgulho disso, mas eu preciso perguntar o porque disso, como pode eu amar tanto você e você não dar valor? Foi por esse tipo de atitude tua que eu decidi desistir. Que eu percebi que você nunca mereceu tanto.
Antes tudo me lembrava você, desde cheiros a sabores, ou nomes, ou lugares ou simplesmente
pessoas que eu via passar na rua e sabia que você conhecia. Qualquer coisa era suficiente pra eu recordar você e sofrer um pouco.
Primeiro eu sofri de medo, era novo gostar tanto de alguém assim e como seria se a gente desse certo ou, e como seria se a gente desse errado? Bem, a resposta do primeiro caso eu nunca vou saber, mas do segundo eu sei, sei de cada lágrima, cada momento bom e cada momento ruim. Depois o meu sofrimento foi saber que você não me queria. Era tão ruim te ver com outras pessoas, saber que você era completamente feliz sem mim e pior, saber que comigo não era o mesmo sem você.
Mas o pior sofrimento foi de saudade. Saudade do que a gente não teve, saudade dos beijos que eu não te dei, saudade das conversas na madrugada que nunca existiram, saudade da tua presença nas horas que eu mais precisava de alguém. Eu quase morri de saudade, mas a cada quase morte nascia de novo e hoje vejo, mais forte.
Engraçado pensar que hoje eu já não te quero mais. Eu ainda te amo, amo como no primeiro momento, porém eu descobri que meu desejo de te fazer feliz morreu, assim como morreram também as esperanças de te ter ao meu lado.
Agora já é Dezembro de novo e o que outrora você me fez sentir nesse momento me parece tão distante, que eu já nem consigo me machucar tanto.
Esse ano eu ainda não decidi quais serão meus sete pedidos, mas o primeiro pensamento ao entrar no mar vai ser de agradecimento por Deus ser mais inteligente que eu e ter me dado a chance de não te ter, pra não sofrer ainda mais.

7 de dezembro de 2008

Agora nós dois sabemos que quando eu disse "nunca mais", eu falei da boca pra fora. Acho na verdade que você sempre soube, mas não me contou pra ver se eu perceberia isso sozinha, ainda bem que não demorou muito pra cair minha ficha, aliás, não demorou um segundo sequer. Senti sua falta desde que a porta bateu, da tua voz, do teu abraço, do teu riso, das tuas piadas, do teu cheiro, do sentimento que só existe quando estou com você. Mas você sabe que orgulho as vezes mata, quase morri, mas não dava pra morrer sem ter você.
Parece até estranho nós dois novamente juntos, mas é ao mesmo tempo tão gostoso. Nunca mais quero outra pele, nunca mais quero outra boca, nunca mais quero outro corpo unido ao meu. É você, com todos os teus defeitos e curvas erradas que eu quero, pra fazer par comigo e ao invés de dois, sermos um só.

4 de dezembro de 2008

Comercial inteligente é outro Nível.





"Tanto faz como fazes.. desde que use preservativo"